Participação Democrática na Internet e Estabelecimento das Redes Sociopolíticas Virtuais

Abstract:
O cenário político contemporâneo tem gerado a necessidade de articulação dos movimentos sociais, fazendo com que atuem em redes e construam agendas anuais de congressos e manifestações públicas, bem como ações coletivas por através de redes sociais virtuais. A existência de redes de indivíduos e organizações que formam um coletivo em rede pode ser compreendida como segmentos que formam um movimento social, o que pode ser também visto no meio virtual por meio de softwares sociais que permitem o estabelecimento de relações e/ou a extrapolação das relações existentes no contexto físico. Esse contexto evidencia novos contornos nas relações sociais e democráticas na sociedade contemporânea, em virtude da crescente utilização de redes sociais virtuais e no uso de dispositivos eletrônicos que permitem sua utilização, apresentando constante desenvolvimento tecnológico e portabilidade de recursos de mídia. Assim, as redes sociais virtuais têm possibilitado criar e desenvolver relacionamentos sociais virtuais cada vez mais constantes e dinâmicos entre as pessoas, possibilitando relações com instituições do governo, mídia, empresas, fundações e outros atores. No campo político, além da possibilidade de criação e desenvolvimento de relações sociais e de atividades de comunicação, as redes sociais têm se apresentado como espaço e instrumento para a realização de ações políticas de diferentes atores sociais, pela utilização de ambientes e ferramentas disponibilizados. Além da tendência à virtualização dos relacionamentos sociais, as relações políticas têm se servido do ambiente das redes sociais virtuais para ampliação do debate sociopolítico e para estabelecimento de objetivos, estratégias e ações coletivas, permitindo a criação de um novo conceito, denominado de Redes Sociopolíticas Virtuais. O desenvolvimento de redes como essas pode determinar a expansão das possibilidades políticas na sociedade, direcionando o sistema político para condições de mais participação e contribuindo para a construção de um sistema democrático participativo, especialmente em razão da crise enfrentada pela democracia representativa. Antes da utilização dessas redes, os movimentos sociais ficavam presos aos seus espaços institucionais e às formas tradicionais de comunicação, como jornais e panfletos, bem como às ações diretamente focadas nos seus antagonistas, além de estarem limitados a protestos nos espaços físicos e à cobertura que os canais tradicionais da mídia se dispunham a realizar e apresentar. A partir das redes sociais virtuais, é possível perceber a extensão das atividades dos movimentos sociais para realizar ações que impactam mais fortemente os antagonistas, fazendo as ações repercutir na sociedade. Esse mesmo contexto amplia consideravelmente a organização e participação democrática e política de indivíduos que não participam ativamente de organizações de movimentos sociais, mas apresentam demandas e objetivos comuns e compartilhados.
Área(s) temática(s):
Año:
2017
Tipo de publicación:
Paper/Extenso Congresos GIGAPP
Palabras clave:
Congreso GIGAPP
Número:
GIGAPP2017
Serie:
VIII Congreso Internacional en Gobierno, Administracion y Politicas Publicas
Dirección:
Madrid, España
Organización:
GIGAPP. Asociación GIGAPP
Mes:
Septiembre
Comentarios:
Propuesta aceptada Ponencia/Comunicacion 2017-11 Grupo de Trabajo Especial: Espacios deliberativos Gobernanza y Gestion Políticas públicas.
Hits: 955